domingo, 5 de novembro de 2017

Editora Areia Dourada e Cláudia Canto
Tem o imenso prazer em apresentar o talentoso designer do livro, "Riqueza Ignorada" 
Alan Carvalho formado em Audiovisual pela UNB-DF e graduando em Design Gráfico pela FAM - SP, imprime em seus trabalhos sensibilidade e delicadeza.
A criatividade e estilo são traços marcantes seja na concepção de seus trabalhos gráficos ou de edição de audiovisuais.
Alan Carvalho, jovem talento que desponta para o mercado profissional.
Contato: alanfzcarvalho@gmail.com

Confira!! Da Zona Leste de SP para Universidade de Oxford!
Escritora lança seu mais recente trabalho na Galeria Metrópole (Bar e Espaço Cultural 321) , Centro de SP.
Texto e divulgação: Pedro Moreira
Site:http://culturaleste.com/
O que vem à tona nas entrelinhas deste livro são prosas, crônicas e poesias, escritas em circunstâncias que muitos considerariam verdadeiras provações. Ora trabalhando como empregada doméstica em Portugal, quase como um cárcere, ou em uma psiquiatria e mais tarde como pesquisadora nas ruas, mal podia imaginar que essas experiências empíricas se traduziriam em uma riqueza literária sem precedentes.
Foi nos atalhos menosprezados por muitos, que encontrei a riqueza que ignorava. Esses momentos atribulados, me fizeram criar resistência e transformar o meu projeto literário em uma verdadeira saga.
Sagaz, passei a usar meus cinco sentidos para aproveitar todas as oportunidades, que caíam em minhas mãos,
assim colhi verdadeiros diamantes e com eles transformei e transformo minha realidade na prática todos os dias, porque pensamento positivo por si só é para os fracos, os fortes buscam ações positivas e estão sempre à frente.
Descobri que era tudo mentira o que diziam, não, não, não, eu não era pobre!
Na verdade nasci em um berço de ouro instalado em um lar humilde na periferia de São Paulo, mesmo que este berço fosse uma bacia de banho.
Esta grande descoberta me proporcionou uma incrivel autovalorização e autoestima, assim portas foram abertas, pessoas generosas me apoiaram e consegui realizar a façanha de ser a primeira “afro-indígena” do maior complexo habitacional do Brasil, Cidade Tiradentes, a lançar um livro em um dos mais importantes centros de estudo do mundo: a Universidade de Oxford!
Sim, eu escolhi um outro tipo de riqueza, afinal somos o que acreditamos”Claudia Canto”
Claudia Canto
Escritora, Apresentadora e Palestrante
Serviço:
Lançamento Oficial do livro
Dia:13/11 às 20h
Bar e espaço cultural 321
Endereço:Galeria Metrópole – Avenida São Luiz, subsolo, loja 10.
Procurei preencher meu vazio acadêmico da infância, com os livros da biblioteca, que nunca me apresentaram. Mas, atrevida como sou, bastou um salto para eu roubar minha liberdade!
#riquezaignorada
Das vezes em que caí...
Levantei com a força do meu pensamento. Após, saí caminhando, esguia, como se nada pudesse me atingir.

domingo, 29 de outubro de 2017

"Se eles, os estudiosos, antropólogos, cientistas, diretores de cinema etc, precisam das nossas histórias para realizar seus feitos e produções, isso é um sinal, que na nossa periferia, existem riquezas por nós desconhecidas. Então resolvi me tornar protagonista da minha própria vida.
Mais ainda, comecei a me dar conta que os nossos parcos recursos por exemplo eram direcionados para o enriquecimento dos fabricantes de grifes famosas. A multiplicação desta equação é simples, endinheirados cada vez com mais recursos e pobres cada vez mais endividados.
Mas que malandra eu era?! Foi só depois de muito tempo que descobri que estava tudo errado. A partir de então comecei a salvar meu dinheiro.
Hoje criei meu próprio estilo, com roupas muitas vezes adquiridas em bazares solidários, onde compartilho as minhas também. Acima de tudo as roupas devem ser recicladas. Servem muito mais de adorno para alma e não só para o corpo. E quando usamos roupas só para enfeitar o corpo, quase sempre são de mau gosto.
Dívidas, prejuízos morais e materiais, uma real sensação de estar sempre enxugando gelo. Tive que chegar ao fundo do poço para finalmente adotar a prática da economia criativa, ou seja, passei a transformar tudo à minha volta, me tornei uma empresária de negócios humanistas, o que significa compartilhar bens de consumo, aprendizados intelectuais e emocionais etc. Realizamos todos os dias uma verdadeira feira da pechincha, o que torna todos mais Ricos.